Juízes federais criticam legítima defesa do projeto de Moro e pedem revisão

Fernando Mendes, presidente da Ajufe, diz que o texto de Moro é muito amplo e precisaria ser revista; pela proposta, "o juiz poderá reduzir a pena até a metade ou deixar de aplicá-la se o excesso decorrer de escusável medo, surpresa ou violenta emoção"

Juízes federais criticam legítima defesa do projeto de Moro e pedem revisão
Juízes federais criticam legítima defesa do projeto de Moro e pedem revisão
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em entrevista à Rádio Joven Pan, o presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Fernando Mendes, afirmou que viu "com bons olhos" o anteprojeto apresentado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, chamado de pacote de medidas anticrime e anticorrupção.

Apesar de tecer elogios ao texto, Mendes apontou críticas as propostas sobre o "plea bargain" – acordos em que o acusado pode negociar pena com o Ministério Público e a legitima defesa .

Em relação à legítima defesa, Mendes diz que o texto de Moro é muito amplo e precisaria ser revista. Pela proposta, "o juiz poderá reduzir a pena até a metade ou deixar de aplicá-la se o excesso decorrer de escusável medo, surpresa ou violenta emoção".

Para ele, o "plea bargan" pode gerar maior insegurança jurídica e precisa de ajustas. "Esse instituto é bom, confere racionalidade ao sistema penal, mas talvez precise de ajustes, porque deve haver maior controle do Judiciário nestes acordos", defendeu.


Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247