Líder do PSDB pede que Temer revogue decreto que extinguiu reserva ambiental

Deputado Ricardo Trípoli (SP) protocolou na Presidência da República um pedido de revogação do Decreto 9142/17, que determina a extinção da Reserva Nacional de Cobre Renca, situada nos estados do Pará e do Amapá; decreto permite que a área de aproximadamente 46 mil km² seja explorada por mineradoras; segundo o líder tucano, a extinção da reserva é grave e fere princípios da Constituição Federal, porque na área existem unidades de conservação ambiental, onde são probidades atividades de mineração e outras atividades

Ricardo Tripoli
Ricardo Tripoli (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Débora Brito, repórter da Agência Brasil - O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Ricardo Trípoli (SP), protocolou hoje (25), na Presidência da República, um pedido de revogação do Decreto 9142/17, que determina a extinção da Reserva Nacional de Cobre e seus associados (Renca), situada nos estados do Pará e do Amapá. O decreto, editado nesta semana, permite que a área de aproximadamente 46 mil quilômetros quadrados (km²), seja explorada por atividades de mineração.

No documento, Trípoli diz que a Floresta Amazônica é um dos patrimônios nacionais descritos na Constituição Federal e que a iniciativa de extinguir a reserva não deveria ocorrer sem análise técnica mais profunda e sem debate público.

Para Trípoli, a extinção da reserva é grave e fere princípios da Constituição Federal, porque na área existem unidades de conservação ambiental, onde são probidades atividades de mineração e outras. O deputado argumenta que a exploração mineral na área da reserva "trará como consequência o adensamento populacional da área", que pode comprometer futuramente a proteção da área.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email