Líderes do centrão dizem que defesa de Bolsonaro ficou mais difícil após advogado amoitar Queiroz

Para parlamentares do chamado centrão, a bomba Fabrício Queiroz explodiu no colo de Bolsonaro e criou dificuldades para sustentarem uma defesa convincente do governo

Frederick Wassef, Jair Bolsonaro e Flávio Bolsonaro
Frederick Wassef, Jair Bolsonaro e Flávio Bolsonaro (Foto: Reprodução | Valter Campanato/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Líderes do centrão consideram que a prisão de Fabrício Queiroz em uma casa de propriedade de Frederick Wassef, advogado da família de Jair Bolsonaro, aumentam as dificuldades para defender Jair Bolsonaro no Congresso.

De acordo com a jornalista Mônica Bergamo, líderes do centrão consideram que se havia intenção de esconder Queiroz, apontando como operador do esquema de rachadinha no gabinete de Flávio Bolsonaro, para que ele não virasse homem-bomba, isso não foi feito de forma eficiente.

Diante do desgate do governo e da possíbilidade de aprovação de um pedido de impeachment, Bolsonaro buscou aproximação com os partidos do chamado centrão, oferecendo ministérios e cargos no governo.

"Do jeito que as coisas foram organizadas, a bomba explodiu no colo de Bolsonaro. E criou dificuldades para os parlamentares recém-aliados sustentarem uma defesa convincente", reforçou a jornalista.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247