Lula defende liberdade religiosa em ato com trabalhadores do ABC

Em encontro com trabalhadores em São Bernardo do Campo, o ex-presidente lembrou a lei sancionada por ele que deu segurança às igrejas

www.brasil247.com -
(Foto: Ricardo Stuckert)


Site do Lula - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmou hoje (16/08), durante encontro com trabalhadores em São Bernardo do Campo (SP), a sua defesa da liberdade religiosa. Lula lembrou a lei sancionada por ele, em 2003, que deu garantias de funcionamento e segurança às igrejas. O instrumento jurídico proibiu o Estado de tomar qualquer decisão que impeça o funcionamento das entidades religiosas. Quase 20 anos depois, entretanto, a campanha de Jair Bolsonaro está tentando abordar a religião no discurso político, acusando falsamente que Lula irá fechar igrejas.

Lula disse que Bolsonaro tentar manipular a boa-fé dos dos evangélicos. “Ele está tentando manipular a boa-fé de homens e mulheres evangélicos que vão à igreja tratar da sua fé. Tratar da sua espiritualidade”, disse Lula. “Não haverá mentira nem fake news que mantenha você governando esse país, Bolsonaro”, completou o ex-presidente.

Pandemia

No encontro com trabalhadores na porta da fábrica da Volkswagen, Lula também ressaltou a omissão de Bolsonaro durante a pandemia do novo coronavírus. “Você (Bolsonaro) não derramou uma única lágrima pelas 680 mil pessoas que morreram de covid. Nunca se preocupou em saber quantas crianças estão órfãs porque foi negacionista. Você não acreditou na ciência, você não acreditou na medicina nem nos governadores”, disse o ex-presidente.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247