Lula: estou convencido de que o Moro vendeu o Brasil para o FBI

Em debate nesta quarta-feira, o ex-presidente Lula também disse que não sabe quem mente mais, se Moro ou Bolsonaro. "A montanha pariu um camundongo. Ele gerou expectativa na população sobre o Bolsonaro e não falou nada. Sabia que estaria prevaricando. Um dia a casa vai cair", afirmou

www.brasil247.com -


247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acusou o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro de ter atuado contra os interesses do Brasil junto aos Estados Unidos. 

"Eu estou convencido que o Moro vendeu o Brasil para o FBI, para a CIA, para ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Ele e o Ministério Público da Lava Jato", afirmou Lula durante debate com as jornalistas Helena Chagas e Tereza Cruvinel e com o ex-ministro da Casa Civil Alozio Mercadante.  "A história vai provar. Estou convencido de que eles mentiram tanto que não tem como voltar", acrescentou.

Reportagem da Agência Pública, publicada nessa terça-feira, 5, mostra que ao assumir o Ministério da Justiça, o ex-juiz da Lava Jato e o ex-diretor da PF Maurício Valeixo assinaram acordos com o FBI, ampliando a influência americana em diferentes áreas de combate ao crime, incluindo a presença dos agentes estrangeiros em um centro de inteligência na fronteira, investigações sobre corrupção e acesso a dados biométricos brasileiros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Não sei quem mente mais o Bolsonaro ou o Moro. O Moro não tem caráter. Até hoje não provou as acusações que me fez. A montanha pariu um camundongo. Ele gerou expectativa na população sobre o Bolsonaro e não falou nada. Sabia que estaria prevaricando. Um dia a casa vai cair", disse Lula.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O ex-presidente disse também que Moro nunca teve empenho em combater a corrupção no governo Jair Bolsonaro e citou o caso do ex-assessor do clã Fabrício Queiroz. "A PF do Moro também nunca quis investigar o dinheiro do Queiroz para a mulher do Bolsonaro", disse Lula. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Lula também defendeu "radicalizar um pouco mais" para fazer a democracia funcionar. "Acho que minha autocrítica é que fui republicano demais", disse ele. "'Ah, mas o Lula tá mais radical...'  Eu não tô. Eu tô é mais consciente. E não vou deixar mais ninguém pisar em cima da gente", acrescentou. 

Inscreva-se na TV 247 e assista ao debate:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email