Lula: “O povo brasileiro não é número, é gente”

O ex-presidente Lula criticou duramente as declarações de Jair Bolsonaro sobre os 5 mil mortes de coronavírus no Brasil. "Essa falta de respeito e solidariedade do Bolsonaro às vítimas do coronavírus e aos seus familiares mostra que precisamos discutir a mudança de governo", disse

Lula e Jair Bolsonaro
Lula e Jair Bolsonaro (Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247 | Marcos Corrêa/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou duramente as declarações de Jair Bolsonaro, em reação à trágica notícia de que o Brasil, com mais de 5 mil mortos, ultrapassou o número de óbitos da China, onde começou o surto. O Brasil tem pelo menos 71 mil confirmações e 5 mil mortes provocadas pela doença. 

"Essa falta de respeito e solidariedade do Bolsonaro às vítimas do coronavírus e aos seus familiares mostra que precisamos discutir a mudança de governo", afirmou Lula, em entrevista à Super Rádio Tupi (RJ). "É grave, isso é resultado do desgoverno do Bolsonaro. Ele não cuida da pandemia, não cuida da economia e não cuida do povo", complementou.

Questionado sobre o número de mortos, Bolsonaro afirmou: "E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre", disse ele fazendo um trocadilho com o seu nome, Jair Messias Bolsonaro, com um personagem bíblico.

De acordo com o ex-presidente, Bolsonaro "transformou os governadores em inimigos, transformou os prefeitos em inimigos, todo mundo que fala algo em contrário, vira inimigo". "Assim não é possível governar o país" lamentou.

Na entrevista o ex-presidente também criticou o novo ministro da Saúde, Nelson Teich. "Ele não entende nada de saúde. Ele trata de fundos de investimento, não trata de saúde", observou Lula.

Para o ex-presidente, é preciso que o governo implemente medidas que garantam a proteção a todos os trabalhadores. "Não é apenas uma questão econômica, financeira. É preciso cuidar do ser humano em primeiro lugar. O povo brasileiro não é número, é gente", disse. 

Lula defende que o Brasil não pode poupar esforços para salvar vidas e empregos, rodando dinheiro para girar a economia. "Temos de garantir que as pessoas possam sobreviver enquanto durar a pandemia".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247