Lula se solidariza com lideranças do movimento de moradia e denuncia 'perseguição'

Em carta, o ex-presidente Lula manifestou solidariedade às lideranças do movimento por moradia que estão presas desde o dia 24 de junho sob a acusação de suposta extorsão; para o ex-presidente, a prisão é resultado de "uma perseguição implacável promovida por aqueles que não fazem a menor ideia do que seja viver sem um teto sob o qual abrigar seus filhos e filhas com segurança e qualidade de vida"

(Foto: Ricardo Stuckert)

247 - “Manifesto minha total solidariedade aos companheiros e companheiras que lutam pelo direito à moradia, vítimas de uma perseguição implacável promovida por aqueles que não fazem a menor ideia do que seja viver sem um teto sob o qual abrigar seus filhos e filhas com segurança e qualidade de vida", afirma o ex-presidente Lula em carta às lideranças do movimento de moradia presas desde 24 de junho, acusados sem qualquer fundamento de prática de extorsão.

Nesta quarta (10), o Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou o pedido de habeas corpus feito pela defesa da publicitária e produtora cultural Preta Ferreira da Silva e do educador Sidney Ferreira da Silva.

"No momento em que o Brasil assiste à comprovação das ações ilegais da Lava Jato, que me levaram à prisão e impediram a mainha candidatura à Presidência da República, Preta Ferreira, Sidney Ferreira da Silva, Edinalva Franco Pereira e Angélica dos Santos Lima também se encontram arbitrariamente presos, pelo mesmo "crime" que cometi: lutar por uma sociedade mais justa, onde, entre tantos outros direitos, cada família possa morar com a dignindade que merece", acrescenta.

Confira a íntegra da carta:

Carta Lula lideranças de moradia

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247