Maioria aprova governadores e reprova Ministério da Saúde no combate à Covid-19, diz Datafolha

Governadores de estado têm a aprovação de 44% contra a rejeição de 29% no combate à pandemia do novo coronavírus, enquanto o Ministério da Saúde foi aprovado por apenas 33% e rejeitado por 34% dos entrevistados

(Brasília - DF, 09/06/2020) Palavras do Ministro Interino da Saúde, Eduardo Pazuello.
(Brasília - DF, 09/06/2020) Palavras do Ministro Interino da Saúde, Eduardo Pazuello. (Foto: Marcos Corrêa/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Pesquisa realizada pelo instituto Datafolha e divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo nesta quinta-feira (26) aponta que o desempenho dos governadores de estado é aprovado por 44% e reprovado por 29% dos brasileiros no combate à pandemia do novo coronavírus, enquanto o Ministério da Saúde tem a aprovação de apenas 33% contra a rejeição de 34% dos entrevistados.

O levantamento foi realizado por telefone entre os dias 23 e 24 de junho, com a participação de 2.016 adultos de todas as regiões do Brasil. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Na pesquisa, cerca de 44% dos entrevistados consideram ótimo ou bom o desempenho dos governadores no combate à Covid-19, outros 29% classificam como ruim ou péssimo e 26% avaliam como regular. Apenas 1% não respondeu.

O levantamento também indica que 33% dos brasileiros acreditam que o desempenho do Ministério da Saúde no combate à Covid-19 é ótimo ou bom, contra 34% que classificam como ruim ou péssimo e outros 31% que avaliam como regular. Não manifestou posicionamento apenas 2% dos entrevistados.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247