Manuela: 'todas nós somos Greta e não vamos voltar para cozinha como querem os machistas'

Ao comentar os ataques contra a ativista Greta Thumberg, a ex-deputada Manuela D'Ávila destacou que os machistas e misóginos tentam desqualificá-la sem enfrentar o conteúdo do seu discurso. "Isso porque para um homem como esse, uma mulher ocupar o espaço público significa uma mulher ter um corpo livre. E nossos corpos, para eles, não nasceram para ser livres", disse Manuela

'Fake news estruturam opiniões sobre tudo', diz Manuela
'Fake news estruturam opiniões sobre tudo', diz Manuela (Foto: Cláudio Kbene)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Manuela D'Ávila, ex-deputada e candidata a vice na chapa de Fernando Haddad em 2018, comentou os ataques contra a ativista Greta Thumberg, jovem de apenas 16 anos, que trava uma batalha mundial em defesa do meio ambiente.

"Quando um homem machista e misógino tenta desqualificar a uma mulher ele não busca enfrentar o conteúdo do seu discurso. Ele não busca respostas na ciência para debater meio ambiente com Greta. Ele fala sobre o seu corpo, seu gênero, sua orientação sexual, sua sexualidade", afirmou Manuela.

E completa: "Isso porque para um homem como esse, uma mulher ocupar o espaço público significa uma mulher ter um corpo livre. E nossos corpos, para eles, não nasceram para ser livres".

Nas redes sociais, o jornalista Rodrigo Constantino, por exemplo,  chegou a chamá-la de "retarda" pelo fato da jovem possuir Síndrome de Asperger, transtorno de desenvolvimento que afeta a capacidade de se socializar e de se comunicar com eficiência.

O radialista Gustavo Negreiros, da rádio 96 FM de Natal (RN), fez ofensa misóginas contra a ativista. Para ele, a garota que defende pautas ambientais “está precisando de sexo”. 

"O que eles não sabem é que Greta é também todas nós no outro sentido.Todas nós somos Greta porque não vamos voltar para cozinha, não seremos tuteladas, nossos corpos e nosso sexo serão livres porque assim estamos aprendendo com meninas como ela que saem às ruas em defesa de um mundo mais justo", concluiu.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email