Mello Franco: Marco Aurélio vai melar a festa de Flávio Bolsonaro

O jornalista Bernardo Mello Franco expõe que "o ministro Marco Aurélio Mello deve cassar a liminar do colega Luiz Fux que blindou o senador Flávio Bolsonaro (PSL) das investigações referentes à caixa dois e sua ligação com a milícia carioca; “A decisão sai na sexta-feira. As investigações estão paradas, não podem continuar assim”, disse Marco Aurélio à coluna do jornalista; "Depois do dia 1º, a situação de Flávio tende a se complicar", projeta o jornalista 

Mello Franco: Marco Aurélio vai melar a festa de Flávio Bolsonaro
Mello Franco: Marco Aurélio vai melar a festa de Flávio Bolsonaro
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Bernardo Mello Franco, em sua coluna no Jornal O Globo, expõe que "o ministro Marco Aurélio Mello deve cassar a liminar do colega Luiz Fux que blindou o senador Flávio Bolsonaro (PSL) das investigações referentes à caixa dois e sua ligação com a milícia carioca. “A decisão sai na sexta-feira. As investigações estão paradas, não podem continuar assim”, disse Marco Aurélio à coluna do jornalista. 

"Depois do dia 1º, a situação de Flávio tende a se complicar. Sem a proteção do foro privilegiado, seu caso deverá ser devolvido à primeira instância. Os promotores vão receber novas informações do Coaf. Se quiserem, também poderão avançar na apuração sobre os elos da família presidencial com as milícias", constata Mello Franco. 

Na visão do jornalista, "apesar dos 4,3 milhões de votos, o senador chega a Brasília enfraquecido. Isso explica sua mudança de tom ao falar de Renan Calheiros. Até outro dia, os Bolsonaro prometiam escantear o emedebista na disputa pelo comando do Senado. Agora podem ser obrigados a beijar sua mão para salvar o mandato do zero-um". 

"Ao opinar contra o pedido de Lula para acompanhar o velório do irmão, um direito assegurado em lei, os procuradores de Curitiba escreveram que o ex-presidente 'não é um preso comum'. Já tinha dado para perceber", conclui. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247