Milícias digitais de Bolsonaro fabricam fake news contra cacique Raoni, denuncia Pimenta

“Olhem do que são capazes as milícias digitais de Jair Bolsonaro e sua família: criaram uma fake news sórdida contra o cacique Raoni na qual o acusam de contrabandear ouro junto com ONGs. A denúncia é falsa, o vídeo é sensacionalista”, alertou o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

PT na Câmara - O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), denunciou no Twitter um vídeo forjado para atacar o cacique Raoni com uma denúncia falsa que o acusa de contrabandear ouro para a França junto com ONGs. 

O vídeo foi publicado no Youtube na quarta-feira (25), um dia após o discurso de Jair Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU, na qual o chefe de Estado brasileiro criticou duas vezes o líder kayapó que vai completar 90 anos em 2020.

“Olhem do que são capazes as milícias digitais de Jair Bolsonaro e sua família: criaram uma fake news sórdida contra o cacique Raoni na qual o acusam de contrabandear ouro junto com ONGs. A denúncia é falsa, o vídeo é sensacionalista”, alertou Pimenta.

Em menos de dois dias, o vídeo alcançou mais de 460 mil visualizações no canal “BomNotícias TV”, que tem 266 mil inscritos e se faz passar por um veículo jornalístico. “Esse material está circulando no submundo das redes de Whatsapp e Facebook da extrema-direita. Recebi o vídeo por uma pessoa do interior do Maranhão, o que mostra a capilaridade das milícias digitais de Bolsonaro e seus apoiadores”, explicou o parlamentar.

Nobel da Paz

Raoni esteve na Câmara também na quarta-feira e foi recebido por dezenas de parlamentares, militantes e apoiadores da luta ambiental. O ato de desagravo aos ataques de Bolsonaro foi seguido de uma coletiva de imprensa.

O cacique kayapó é apoiado por uma coalizão de entidades e movimentos sociais para uma candidatura ao prêmio Nobel da Paz, em razão de sua atuação histórica em defesa da Amazônia e dos direitos dos povos indígenas.

Falsa reportagem

O vídeo começa com uma vinheta de visual jornalístico. Na sequência, um apresentador faz a “denúncia”, lendo um texto repleto de erros de concordância, enquanto são exibidas imagens do cacique Raoni participando de um evento no exterior e policiais ou seguranças privados custodiando objetos que parecem ser barras de ouro.

O título da reportagem forjada segue à risca a cartilha dos manuais de fake news da extrema-direita, usando um tom sensacionalista e citando a Polícia Federal para dar à mentira ares de escândalo descoberto por autoridades: “ALERTA MÁXIMO Polícia Federal DESCOBRE ONG ENVIANDO ILEGALMENTE BARRAS DE OURO PARA FRANÇA”.

Pimenta cobrou providências da plataforma que abriga o material e apontou que os criadores do vídeo terão que prestar contas à Justiça e à investigação que corre no Congresso Nacional com a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que apura a indústria das fake news no Brasil. “O YouTube tem o dever de BANIR esse canal e os responsáveis por essa farsa terão que se explicar à Polícia Federal e à CPI das Fake News”, escreveu o líder petista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email