Militares venezuelanos rechaçam declarações de presidente da Colômbia

Os ministro da Defesa da Venezuela, general Padrino López, afirmou nesta terça-feira (25) que o presidente colombiano, Iván Duque, "perde seu tempo" ao convocar os militares para retirar seu apoio ao presidente Nicolás Maduro

AFP - A Força Armada Nacional Bolivariana da Venezuela (FANB) afirmou nesta terça-feira (25) que o presidente colombiano, Iván Duque, "perde seu tempo" ao convocar os militares para retirar seu apoio ao presidente Nicolás Maduro.  "A FANB rejeita categoricamente as infaustas declarações do senhor Iván Duque, a quem exigimos respeito e lhe recordamos que perde seu tempo tentando fragmentar nossa unidade", diz o comunicado firmado pelo ministro da Defesa, general Vladimir Padrino.  

A cúpula militar venezuelana respondeu assim às declarações de Duque, que qualificou o governo Maduro de "ditadura atroz".  

"Mais que uma solução militar de caráter estrangeiro, hoje o que é preciso é garantir a ruptura entre as próprias forças militares (venezuelanas) e que estas forças militares se coloquem ao lado da Assembleia e do presidente (Juan) Guaidó", declarou Duque à Europa Press no último final de semana.  Ao responder a tal declaração, Maduro chamou Duque de "bastardo oligarca" e autorizou os militares a respondr-lhe com "toda a força".  

O líder opositor Guaidó tem convocado os militares a derrubar Maduro e contribuir para restabelecer a "democracia".  Cerca de 900 militares e policiais já desertaram e cruzaram a fronteira para a Colômbia desde fevereiro passado, após a fracassada tentativa de trazer ajuda humanitária americana feita pelo líder opositor.  

A comissão de Defesa do Legislativo - único poder nas mãos da oposição - afirma que 198 militares estão presos acusados de traição à pátria e conspiração, entre outros crimes.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247