Ministra do TCU quer Libra fora de Santos em 2 anos em vez de 20

A ministra do TCU Ana Arraes vai pedir a anulação da prorrogação do contrato da operadora Libra no Porto de Santos; Libra está no foco da investigação que envolve Michel Temer pela suspeita do recebimento de propina por meio da edição, no ano passado, do chamado Decreto dos Portos, que beneficiou empresas ligadas ao setor; em seu voto, a ministra afirma não ter dúvidas que as irregularidades investigadas justificam a saída imediata da empresa do Porto de Santos; TCU pautou o julgamento do caso para esta quarta-feira (23)

A ministra do TCU Ana Arraes vai pedir a anulação da prorrogação do contrato da operadora Libra no Porto de Santos; Libra está no foco da investigação que envolve Michel Temer pela suspeita do recebimento de propina por meio da edição, no ano passado, do chamado Decreto dos Portos, que beneficiou empresas ligadas ao setor; em seu voto, a ministra afirma não ter dúvidas que as irregularidades investigadas justificam a saída imediata da empresa do Porto de Santos; TCU pautou o julgamento do caso para esta quarta-feira (23)
A ministra do TCU Ana Arraes vai pedir a anulação da prorrogação do contrato da operadora Libra no Porto de Santos; Libra está no foco da investigação que envolve Michel Temer pela suspeita do recebimento de propina por meio da edição, no ano passado, do chamado Decreto dos Portos, que beneficiou empresas ligadas ao setor; em seu voto, a ministra afirma não ter dúvidas que as irregularidades investigadas justificam a saída imediata da empresa do Porto de Santos; TCU pautou o julgamento do caso para esta quarta-feira (23) (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ministra do Tribunal de Contas da União (TCU) Ana Arraes vai pedir a anulação da prorrogação do contrato da operadora Libra no Porto de Santos. A Libra está no foco da investigação que envolve Michel Temer, al[em de aliados e amigos do emedebista, diretamente pela suspeita do recebimento de propina por meio da edição, no ano passado, do chamado Decreto dos Portos, que beneficiou empresas ligadas ao setor.

Em seu voto, a ministra afirma não ter dúvidas que as irregularidades investigadas justificam a saída imediata da empresa do Porto de Santos, mas em função da importância das operações para o terminal portuário e da necessidade do prazo para preparar uma nova licitação, ela avalia que a Libra permaneça com suas atividades no local até 2020.

O TCU pautou o julgamento do caso para esta quarta-feira (23). Já o inquérito que investiga Temer e aliados corre no Supremo Tribunal Federal (STF) e tem a relatoria do ministro Luís Roberto Barroso.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247