Ministro admite que Bolsonaro pediu para recuar e contradiz Onyx

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, admitiu que recebeu uma ligação do presidente Jair Bolsonaro em que o presidente mandava recuar nos cortes em universidades, mas diz que convenceu o presidente a manter a medida; a versão contradiz o que disse Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, que acusou parlamentares de distorcer a versão ouvida durante reunião

Ministro admite que Bolsonaro pediu para recuar e contradiz Onyx
Ministro admite que Bolsonaro pediu para recuar e contradiz Onyx (Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)

247 - Durante a sabatina na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (15), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, admitiu que recebeu uma ligação do presidente Jair Bolsonaro em que o presidente mandava recuar nos cortes em universidades, como afirmou os deputados aliados ontem (14). No entanto, ele diz que conseguiu convencer Bolsonaro a manter os cortes.

O deputado Capitão Wagner (PROS-CE), um dos parlamentares que estavam na reunião com Bolsonaro e ouviu ele dizendo para recuar, pediu que o ministro respondesse a esse único questionamento e enquadrou a falar se recebeu ou não a ligação do presidente. "Sem entrar no mérito se é corte ou contingenciamento". "De repente os deputados são desmentidos. Quero saber se o ministro ouviu ou não isso do presidente, porque tudo vira fake news nesse governo", destacou.

"A ligação eu vou explicar. Os deputados ouviram o presidente falando comigo, mas não eu falando com o presidente", afirmou o ministro, acrescentando que ele teria explicado ao presidente que não se tratavam de cortes, mas de contingenciamento de verbas e que assim teria concordado em não recuar.

A versão do ministro contradiz o que disse o ministro Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, que disse que os parlamentares "entenderam algo que era completamente desconectado do que era dito" e que queriam aparecer.

A explicação de Weintraub é ainda mais esdrúxula que a de Onyx, pois como o presidente que determinou o corte ainda não estava convencido de tal medida?

O ministro fez a declaração ao lado da líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), que também saiu desmentindo o recuo afirmando se tratar de um boato. As declarações da deputada irritaram os parlamentares que estavam na reunião com Bolsonaro. Alguns ocuparam a tribuna para rebater as acusações de que estavam mentindo.

Um dos mais irritados era o líder do PSL, Delegado Waldir (GO), que estava presente na reunião. Em mais uma demonstração da falta de unidade do governo, o deputado afirmou que não seria admitiria ser chamado de mentiroso.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247