Ministro da Saúde passa mal, outra vez, e é internado no Sírio-Libanês

O ministro da Saúde Ricardo Barros (PP) passou mal, na manhã desta quinta-feira (9), durante seminário que estava sendo realizado no Hospital Alemão Oswaldo Cruz, na região central de São Paulo; de acordo com informações do hospital, que o atendeu, Barros sentiu um pico de pressão; ele deverá receber alta ainda nesta quinta; na semana passada, o ministro da Saúde foi submetido a um cateterismo e colocação de stent no Hospital Sírio-Libanês, também em São Paulo

Brasília - O ministro da Saúde, Ricardo Barros, concede sua primeira entrevista coletiva à imprensa sobre assuntos relacionados à pasta (Wilson Dias/Agência Brasil)
Brasília - O ministro da Saúde, Ricardo Barros, concede sua primeira entrevista coletiva à imprensa sobre assuntos relacionados à pasta (Wilson Dias/Agência Brasil) (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Do Blog de Esmael Morais - O ministro da Saúde Ricardo Barros (PP) passou mal, na manhã desta quinta-feira (9), durante seminário que estava sendo realizado no Hospital Alemão Oswaldo Cruz, na região central de São Paulo.

De acordo com informações do hospital, que o atendeu, Barros sentiu um pico de pressão. Ele deverá receber alta ainda hoje.

Na semana passada, o ministro da Saúde foi submetido a um cateterismo e colocação de stent no Hospital Sírio-Libanês, também em São Paulo.

Ricardo Barros, 57 anos, do Paraná, participava de um evento na capital paulista sobre a participação de "organizações sociais" na Saúde.

O ministro é marido da vice-governadora do Paraná Cida Borghetti (PP).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247