Moro nos trouxe o atraso de volta, diz Janio de Freitas

O jornalista Janio de Freitas diz que a desmoralização do Brasil enquanto república prossegue a passos largos com Sérgio Moro. Ele diz: "o próprio beneficiário do efeito extrajudicial, Sergio Moro, facilitou o fracasso. Ao renegar a afirmação de que jamais se tornaria político, e incorporar-se ao governo que ajudou a eleger, mais do que desmoralizou o seu passado de juiz —como disse que aconteceria, se passasse à política. Tornou mais desprezível a imagem do futuro governo e do país exposta a cada dia pela imprensa mundial"

Moro nos trouxe o atraso de volta, diz Janio de Freitas
Moro nos trouxe o atraso de volta, diz Janio de Freitas (Foto: REUTERS/Daniel Derevecki)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Janio de Freitas diz que a desmoralização do Brasil enquanto república prossegue a passos largos com Sérgio Moro. Ele diz: "o próprio beneficiário do efeito extrajudicial, Sergio Moro, facilitou o fracasso. Ao renegar a afirmação de que jamais se tornaria político, e incorporar-se ao governo que ajudou a eleger, mais do que desmoralizou o seu passado de juiz —como disse que aconteceria, se passasse à política. Tornou mais desprezível a imagem do futuro governo e do país exposta a cada dia pela imprensa mundial."

Em artigo publicado no jornal Folha de S. Paulo, o jornalista ainda destaca que "voltamos a ser um país com algumas originalidades musicais, carnavalescas, geográficas, mas um país atrasado de um povo atrasado. E não há o que responder."

E prossegue: "onde, no mundo não atrasado, um juiz faria dezenas de conduções coercitivas ilegais, prisões como coação ilegal a depoentes, gravações ilegais de acusados, parentes e advogados, divulgação ilegal dessas gravações, excesso ilegal de duração de prisões, e sua impunidade permanecesse acobertada por conivência ou medo das instâncias judiciais superiores? Condutas próprias de ditadura, mas em regime de Constituição democrática."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247