Morre Ricardo Sérgio, autor da frase “no limite da nossa irresponsabilidade” que marcou as privatizações do governo FHC

Ricardo Sérgio foi um símbolo do espírito das privatizações tucanas, marcadas por denúncias seguidas de corrupção

Ricardo Sérgio de Oliveira
Ricardo Sérgio de Oliveira (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Morreu na última semana em São Paulo um dos personagens mais célebres da era das privatizações no governo FHC e braço direito de José Serra, Ricardo Sérgio de Oliveira, que foi diretor internacional do Banco do Brasil.Ricardo Sérgio foi o autor da frase mais marcante das privatizações das teles. A informação é do colunista Lauro Jardim.

Numa conversa com Luiz Carlos Mendonça de Barros, Ricardo Sérgio informou ao então ministro das Comunicações que já liberara cartas-fiança para viabilizar a participação do Opportunity e de outros investidores no leilão de privatização das teles ("Eu dei aqui uns 3 bi hoje", disse rindo alto).

Em seguida, soltou a frase-símbolo do escândalo: “Estamos indo no limite da nossa irresponsabilidade…”

O diálogo ficou público graças a um grampo. Menos de um mês depois de ter sido publicado, Ricardo Sérgio foi obrigado a pedir demissão do BB. O padrinho de sua indicação ao banco foi exatamente José Serra.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email