Movimentos farão ato em defesa de Dilma no dia 16

Centrais sindicais e movimentos sociais anunciaram para a próxima quinta-feira, 16, uma grande manifestação na Avenida Paulista contra o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff; manifestantes irão pedir a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB) do cargo, e mudanças na política econômica do governo; serão convidados representantes de entidades que já se posicionaram contra o impeachment como Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic); uma comissão de representantes dos movimentos deve ser recebida pela presidente Dilma no Palácio do Planalto

Centrais sindicais e movimentos sociais anunciaram para a próxima quinta-feira, 16, uma grande manifestação na Avenida Paulista contra o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff; manifestantes irão pedir a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB) do cargo, e mudanças na política econômica do governo; serão convidados representantes de entidades que já se posicionaram contra o impeachment como Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic); uma comissão de representantes dos movimentos deve ser recebida pela presidente Dilma no Palácio do Planalto
Centrais sindicais e movimentos sociais anunciaram para a próxima quinta-feira, 16, uma grande manifestação na Avenida Paulista contra o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff; manifestantes irão pedir a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB) do cargo, e mudanças na política econômica do governo; serão convidados representantes de entidades que já se posicionaram contra o impeachment como Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic); uma comissão de representantes dos movimentos deve ser recebida pela presidente Dilma no Palácio do Planalto (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Avenida Paulista será o palco da manifestação que sindicatos e movimentos sociais farão na próxima quinta-feira, 16, contra o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

A data foi definida em uma reunião entre líderes das frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, que reúnem grupos como o Movimento dos Sem Terra (MST), Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Central de Movimentos Populares (CMP) e partidos como PT, PCdoB e PSol.

Além de condenarem o golpe, os manifestantes irão pedir a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB) do cargo, e mudanças na política econômica do governo.

Um dos desafios dos organizadores é ampliar a participação popular para além dos grupos historicamente ligados ao PT. Por isso serão convidados representantes de entidades que já se posicionaram contra o impeachment como Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic).

Os organizadores também vão convidar artistas alinhados ideologicamente à esquerda de várias gerações, desde a luta contra a ditadura militar até os rappers da periferia.

Antes do ato, a presidente Dilma Rousseff deve receber uma comissão de representantes dos movimentos no Palácio do Planalto. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email