Movimentos sociais lançam manifesto pedindo fornecimento urgente de insumos para intubação

O texto, assinado por mais de 30 grupos da sociedade civil brasileira e internacional, responsabiliza o governo federal pela escassez do kit intubação e também exige produção de oxigênio pelas empresas brasileiras

www.brasil247.com - Ventiladores pulmonares
Ventiladores pulmonares (Foto: © Agência Petrobras)


247 - Diversos movimentos sociais brasileiros e internacionais lançaram nesta terça-feira (20) o manifesto 'Não Podemos Esperar: Precisamos Respirar!', que exige que o governo federal "tome todas as medidas cabíveis para normalizar com urgência e de forma definitiva o fornecimento de todos os insumos necessários para a intubação e o conforto dos pacientes, bem como exija e incentive o aumento da produção de oxigênio pelas empresas brasileiras".

O texto é assinado por mais de 30 grupos, entre eles Associação Brasileira de Enfermagem, Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), Associação Brasileira de Médicas e Médicos pela Democracia (ABMMD), Coordenação Nacional de Entidades Negras (CONEN), Levante Popular da Juventude, Marcha Mundial das Mulheres, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Sociedade Brasileira de Bioética (SBB) e União Brasileira de Mulheres - UBM.

"Os medicamentos necessários para a sedação dos pacientes intubados acabaram em mais de 600 municípios do país e os estoques de oxigênio vêm minguando a cada dia. Há pacientes intubados recebendo medicamentos sedativos de menor eficácia e tendo que ser contidos nos leitos, por causa da agitação consequente à falta de oxigênio em seus cérebros e corpos e ao enorme incômodo causado pelo tubo do respirador em suas vias aéreas", diz um trecho. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As organizações responsabilizam o governo federal pela falta dos insumos essenciais no combate à pandemia da Covid-19: "O Ministério da Saúde comprou e concentrou todos estoques destes insumos e está distribuindo-os lentamente aos estados e municípios. Não há mais opção de compra no país".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Representeante de uma entidade, você pode ler a íntegra e assinar o manifesto aqui.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email