Não se dá tiro na nuca do seu próprio soldado, diz Bebianno magoado com Bolsonaro

"Não se dá um tiro na nuca do seu próprio soldado. É preciso ter um mínimo de consideração com quem esteve ao lado dele o tempo todo", disse o ministro da Secretaria-geral da Presidência, Gustavo Bebianno, em uma conversa com interlocutores; exposto e humilhado pela clã Bolsonaro, o ministro disse que não vai pedir demissão; "Não vou sair escorraçado pela porta dos fundos", disse

Não se dá tiro na nuca do seu próprio soldado, diz Bebianno magoado com Bolsonaro
Não se dá tiro na nuca do seu próprio soldado, diz Bebianno magoado com Bolsonaro (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Exposto e humilhado em público, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, não esconde que está magoado com a fritura a que está sendo submetido pelo próprio presidente Jair Bolsonaro e seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ).

"Não se dá um tiro na nuca do seu próprio soldado. É preciso ter um mínimo de consideração com quem esteve ao lado dele o tempo todo", desabafou Bebianno em uma conversa com interlocutores, segundo informa o colunista da Globo, Gerson Camarotti.

De acordo com o jornalista, Bebianno ficou impressionado com a conduta do presidente em endossar os argumentos do filho. "Não vou sair escorraçado pela porta dos fundos", disse o ministro, reforçando que se Bolsonaro quiser demiti-lo, terá que assumir o desgaste público de ter que mandar o auxiliar embora com pouco mais de um mês de governo.

Confira a íntegra da reportagem no G1.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247