Nassif: ou o Brasil derruba Bolsonaro ou sofrerá um golpe

Jornalista Luís Nassif alerta que Congresso e STF devem agir já para impedir Jair Bolsonaro. "A cada dia que passa, seu poder aumentará. Se não cortar a cabeça da cobra agora, não haverá condições mais adiante", afirma

(Foto: 247 | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Luis Nassif alerta neste sábado (16) para os riscos ao que ainda resta da democracia brasileira, caso Jair Bolsonaro se mantenha no cargo. 

Em artigo no Jornal GGN, Nassif analisa que o agravamento do quadro econômico do País e a recrudescimento da pandemia do coronavírus, que  levou a cidade de Manaus ao colapso na Saúde, com pacientes morrendo por falta de oxigênio, terão efeitos diretos sobre o governo Bolsonaro. 

"A única maneira de dar uma parada, de reorganizar as expectativas, será com um novo comando, especialmente se for fruto do grande pacto nacional", avalia. 

Segundo Nassif, assim que Bolsonaro se vir ameaçado, irá antecipar sua estratégia convocando suas milícias armadas e, provavelmente, lançará acenos às bases das polícias estaduais e das Forças Armadas.

"Daí a necessidade de duas iniciativas em paralelo. A primeira, a articulação do impeachment no Congresso. A segunda, as conversas entre os poderes, visando garantir o movimento contra as milícias de Bolsonaro", diz o jornalista. 

"Não adianta se esconder debaixo da cama com receio das milícias. A cada dia que passa, seu poder aumentará. Se não cortar a cabeça da cobra agora, não haverá condições mais adiante", acrescenta Nassif.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email