Novo general de Toffoli fez campanha por Bolsonaro

O general Ajax Porto Pinheiro será o novo assessor militar do presidente do STF, ministro Dias Toffoli; ele foi uma indicação do comandante do Exército, general Villas Bôas, e sucede no cargo o general Fernando Azevedo e Silva, que será ministro da Defesa de Bolsonaro; o general Pinheiro fez campanha aberta para Bolsonaro nas eleições; em vídeo gravado às vésperas do segundo turno, afirmou que "os militares seriam as maiores vítimas" caso o PT voltasse ao poder; para ele, Fernando Haddad era "orientado, dominado e controlado por um presidiário", em referência à prisão política do ex-presidente Lula

www.brasil247.com - Novo general de Toffoli fez campanha por Bolsonaro
Novo general de Toffoli fez campanha por Bolsonaro (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil | UN Photo/Igor Rugwiza)


247 - O general Ajax Porto Pinheiro, que foi indicado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, para sua assessoria, fez campanha para o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Em um vídeo gravado para o segundo turno, ele afirmou que "os militares seriam as maiores vítimas" caso o PT voltasse ao poder. "Não tenham dúvida, se voltarem ao poder eles farão, tentarão fazer, a sua ideologia fez, em alguns países, por exemplo, como a Venezuela, onde o Exército venezuelano é completamente dominado pelo poder político", diz Pinheiro no vídeo que circula nas redes sociais.

Pinheiro foi indicado para o cargo pelo comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, após o atual assessor especial de Toffoli, general Fernando Azevedo e Silva ter sido indicado por Bolsonaro para assumir o Ministério da Defesa. O cargo de assessor militar nunca existiu no STF.

No vídeo, Pinheiro faz menção à fala do general Hamilton Mourão (PRTB), vice na chapa de Bolsonaro, que durante campanha falou de "coisas que só existem no Brasil". "A jabuticaba é uma delas", destaca o militar. "A outra é um partido cujo candidato a presidente é orientado, dominado e controlado por um presidiário. Então um dos candidatos a presidente recebe ordens do presídio", afirma. A declaração é uma referência ao fato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que é mantido como preso político em Curitiba, pertencer ao mesmo partido do então candidato do PT à Presidência da República Fernando Haddad.

"Outra coisa que só tem no Brasil, além da jabuticaba e de um presidiário controlando um candidato a presidente no segundo turno, é a existência de um ser que está extinto no mundo evoluído, que é comunista", diz endossando um dos pontos do discurso de campanha de Bolsonaro sobre a suposta "ameaça comunista" representada pela esquerda. Para Pinheiro, o súbito crescimento de Bolsonaro na reta final da campanha eleitoral se deve ao fato de que até o final do primeiro turno os institutos de pesquisa estavam "represando" informações para "tentar influenciar" o eleitor indeciso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pinheiro afirma ainda no vídeo que o movimento "Ele Não" foi um "balão de ensaio" contra a candidatura de Bolsonaro que "não deu certo". Ao final do vídeo, ele sugere que - como Haddad havia dito que estava disposto a debater com Bolsonaro até mesmo na enfermaria, após ele ter sido esfaqueado durante um ato de campanha em Minas Gerais – ele também "recebesse o mesmo tratamento dado pelo 'estripador', para que, na enfermaria, debatessem em "igualdade de condições.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Veja o vídeo. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email