OMS: Taxa de cura da tuberculose eleva entre os que recebem Bolsa Família

De acordo com estudo feito por epidemiologistas brasileiros com apoio da OMS (Organização Mundial de Saúde), foi identificado um aumento da taxa de cura entre as pessoas que recebem o benefício do Bolsa Família; a pesquisa reforça o papel importante do benefício criado pelo governo do ex-presidente Lula na melhoria da qualidade de vida da população de baixa renda

OMS: Taxa de cura da tuberculose eleva entre os que recebem Bolsa Família
OMS: Taxa de cura da tuberculose eleva entre os que recebem Bolsa Família (Foto: Edição 247)

247 - Considerada uma doença ligada à pobreza, a tuberculose atinge cerca de 70 mil pessoas por ano no Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Mas de acordo com estudo feito por epidemiologistas brasileiros com apoio da OMS (Organização Mundial de Saúde), publicado na prestigiada revista científica Lancet, foi identificado um aumento da taxa de cura entre as pessoas que recebem o benefício do Bolsa Família.

A pesquisa reforça o papel importante do benefício criado pelo governo do ex-presidente Lula na melhoria da qualidade de vida da população de baixa renda. De acordo com o levantamento, foi identificado um aumento de 7,8% na taxa de cura de tuberculose entre pessoas que recebem o benefício em comparação pessoas com as mesmas características demográficas e socioeconômicas que não são beneficiadas pelo programa de assistência.

"Isso é muita coisa em termos de tratamento. Para se ter uma ideia, para um novo medicamento lançado no mercado atingir 5% de diferença em relação ao tratamento existente é uma dificuldade enorme", explica a epidemiologista Ethel Maciel, pesquisadora da UFES (Universidade Federal do Espírito Santo) e coordenadora do estudo, em entrevista a BBC Brasil.

O levantamento acompanhou o histórico de saúde de de mais de mil pessoas com tuberculose em sete cidades nas cinco regiões do Brasil entre 2014 e 2017, sendo estes divididos entre os que recebem Bolsa Família e os que não recebem.

"Teoricamente, todo mundo que era muito pobre deveria receber (o auxílio), mas não foi a realidade que a gente encontrou", explica Ethel Maciel. Após o golpe que derrubou a presidenta eleita, Dilma Rousseff, o governo de Michel Temer, sob o argumento de combater supostas fraudes, reduziu o orçamento do programa.

Confira a íntegra da reportagem no site da BBC Brasil.

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247