Para o MEC, pandemia acabou: Ministério da Educação acaba com medidas de restrição à Covid-19

A pasta que aplicará o Enem a partir deste fim de semana revogou a portaria que enumerava as medidas de combate à Covid-19

www.brasil247.com -
(Foto: ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News

Por Guilherme Amado, no portal Metrópoles - O Ministério da Educação revogou todas as medidas adotadas pela pasta para combater a pandemia de Covid-19. O Diário Oficial da União desta quinta-feira traz uma portaria revogando uma outra publicada em março do ano passado que enumerava as ações da pasta para a “prevenção ao contágio pelo Novo Coronavírus – Covid-19”.

Não há o estabelecimento de novas medidas no Diário Oficial de hoje. O MEC vive uma crise com a saída de dezenas de funcionários do Inep, o órgão responsável pela realização do Enem, que começa neste fim de semana.

A portaria revogada hoje definia que servidores com 60 anos ou mais, imunodeficientes, com doenças crônicas ou graves, grávidas, lactantes ou cuidando de uma pessoa com suspeita de estar infectada pela Covid-19 seriam afastados imediatamente.

PUBLICIDADE

Outro ponto revogado nesta quinta-feira é a limitação ao trabalho presencial dos funcionários terceirizados. Até hoje, a atuação presencial estava “limitada a atender atividades consideradas essenciais pelos titulares das unidades do Ministério da Educação, em patamar mínimo para a manutenção das atividades, a exemplo de segurança patrimonial e sanitária”.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email