Pastora Damares, ministra dos Direitos Humanos, também empunhou 'kit gay'

A pastora Damares Alves, futura ministra dos Direitos Humanos, afirmou em culto de 2013 que "não há prova científica de que o gay nasça gay. Porque se houvesse, eles já teriam jogado na nossa cara. A homossexualidade é aprendida a partir do nascimento". Ela também disse que "Deus está dizendo para a Igreja: 'Abre o olho'. É hora de nos levantarmos. Os crentes estão deixando a educação dos seus filhos por conta do Estado"

Pastora Damares, ministra dos Direitos Humanos, também empunhou 'kit gay'
Pastora Damares, ministra dos Direitos Humanos, também empunhou 'kit gay'
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A pastora Damares Alves, futura ministra dos Direitos Humanos, afirmou em culto de 2013 que "não há prova científica de que o gay nasça gay. Porque se houvesse, eles já teriam jogado na nossa cara. A homossexualidade é aprendida a partir do nascimento". Ela também disse que "Deus está dizendo para a Igreja: 'Abre o olho'. É hora de nos levantarmos. Os crentes estão deixando a educação dos seus filhos por conta do Estado."

A reportagem do jornal O Globo relembra a atuação da pastora em passado recente: "em uma pregação na Primeira Igreja Batista de Campo Grande (MS) em 2013, Damares Alves afirmou que o time de assessores da Câmara dos Deputados — do qual fazia parte — forma um 'exército silencioso' que move o funcionamento da Casa. A pastora também disse aos fiéis que Deus estaria chamando a 'Igreja Evangélica do Brasil' para um novo tempo e uma nova fase de transformação da sociedade. O chamado divino, segundo ela, teria como objetivo uma revisão de valores e de conceitos, com foco na educação das crianças e adolescentes."

Damares também desfilou por cultos empunhando - e criticando - o chamado 'kit gay': "para além do discurso inflamado sobre a necessidade de revolucionar valores sociais e reformular o conteúdo lecionado aos estudantes de Ensino Fundamental, Damares passou 20 minutos do culto mostrando slides sobre materiais didáticos supostamente distribuídos em colégios brasileiros."

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247