Paulinho vendeu apoio do Solidariedade ao PSDB por R$ 15 milhões

O presidente nacional do Solidariedade, deputado federal Paulo Pereira da Silva, conhecido como Paulinho da Força, é um dos alvos da Operação Ross, deflagrada nesta terça-feira (11) pela PF; segundo a PF, estão sendo cumpridos mandados de prisão em imóveis ligados a Paulinho da Força, um dos fundadores da Força Sindical, pela suspeita do recebimento de R$ 15 milhões que teriam sido repassados por Aécio para que o PSDB conseguisse o apoio da legenda

Paulinho vendeu apoio do Solidariedade ao PSDB por R$ 15 milhões
Paulinho vendeu apoio do Solidariedade ao PSDB por R$ 15 milhões (Foto: Gilmar Felix / Câmara dos Deputados)

247 - O presidente nacional do Solidariedade, deputado federal Paulo Pereira da Silva, conhecido como Paulinho da Força, é um dos alvos da Operação Ross, deflagrada nesta terça-feira (11) pela Polícia Federal, que apura denúncias de corrupção contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Segundo a PF, estão sendo cumpridos mandados de prisão em imóveis ligados a Paulinho da Força, um dos fundadores da Força Sindical, pela suspeita do recebimento de R$ 15 milhões que teriam sido repassados por Aécio para que o PSDB conseguisse o apoio da legenda.

Esta é a segunda investigação contra Paulinho da Força neste ano. Em setembro a PF abriu um inquérito para investigar sua participação em um esquema de concessão de registros e concessões sindicais no Ministério do Trabalho.

A Operação Ross tem como base as delações dos executivos do grupo J&F Joesley Batista e Ricardo Saud, que relataram o repasse de R$ 110 milhões em propinas para Aécio.

Leia mais sobre o assunto no Brasil 247

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247