Paulo Guedes comemora Orçamento limitado, sem auxílio emergencial e com arrocho fiscal

O ministro da Economia, Paulo Guedes, está satisfeito com a não aprovação do Orçamento deste ano pelo Congresso Nacional, comemora o arrocho fiscal e não prevê auxílio emergencial

Paulo Guedes
Paulo Guedes (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A equipe econômica liderada pelo ministro Paulo Guedes afirma não trabalhar com a possibilidade de fazer novos pagamentos do auxílio emergencial a trabalhadores informais afetados pela pandemia do novo coronavírus.

O governo de Jair Bolsonaro está interessado em mostrar a investidores que tem compromisso com o controle dos gastos públicos. 

Reportagem dos jornalistas Bernardo Caram e Thiago Resende aponta que o ministro da Economia  considera que no momento só é possível discutir uma reformulação do programa Bolsa Família dentro do Orçamento já previsto para o ano.

Guedes só admite novas discussões sobre mudanças mais amplas após a eleição das mesas da Câmara e do Senado, no início de fevereiro. 

A crise sanitária no país está sem controle, o desemprego está em alta e a crise social tende a se agravar com o fim do auxílio emergencial. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247