‘Pela primeira vez o povo marcha para registrar seu candidato’

A dirigente do MST Ester Hoffmann, avalia que a marcha a Brasília (DF) tem promoverá um feito inédito na história do País: será a primeira vez que é feito o registro de um candidatura de forma popular e com mobilização; "O povo registrar o seu candidato, isso é muito significativo"

‘Pela primeira vez o povo marcha para registrar seu candidato’
‘Pela primeira vez o povo marcha para registrar seu candidato’ (Foto: Esq.: Stuckert )
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A dirigente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) Ester Hoffmann, avalia que a marcha a Brasília (DF) tem promoverá um feito inédito na história do País: será a primeira vez que é feito o registro de um candidatura de forma popular e com mobilização. Nesta quarta-feira (15), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá sua candidatura ao Planalto registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). "O povo registrar o seu candidato, isso é muito significativo. Todas as pesquisas mostram que, mesmo preso, a maioria quer que ele volte ser presidente do Brasil", disse Ester à Rede Brasil Atual.

Antônia Ivoneide, também da direção do MST, afirma que "a Marcha Nacional Lula Livre é uma forma de demonstrar que o povo tem sua força, sua organização e seu projeto". "E esse projeto enxerga em Lula a possibilidade real de reverter as maldades que o golpe de 2016 trouxe para o povo pobre: fome, desemprego, ataques à saúde e educação, aumento da violência e entrega das riquezas nacionais", acrescenta.

Leia a íntegra na RBA

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247