PF abriu inquérito contra site que denunciou bolsonaristas por fake news

A Polícia Federal abriu investigação contra a página Sleeping Giants Brasil, que denuncia apoiadores de Jair Bolsonaro por difundirem notícias falsas. Justiça arquivou a medida

(Foto: Esq.: Isac Nóbrega - PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Federal abriu inquérito para investigar a página Sleeping Giants Brasil, que tem alertado empresas que anunciam na internet para o conteúdo de ódio ou mentiroso de algumas páginas em que colocam a sua publicidade. 

A abertura da investigação, na Delegacia da PF em Londrina (PR), ocorreu em 25 de maio –cinco dias antes, o Sleeping Giants denunciou que o Banco do Brasil anunciava em um site que apoia Jair Bolsonaro e que já tinha sido condenado na Justiça por disseminar fake news, informa a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna.

Devido à denúncia do Sleeping Giants, o banco suspendeu a publicidade, o que revoltou os bolsonaristas.

O filho do presidente da República, Carlos Bolsonaro, reclamou publicamente no Twitter. O secretário de Comunicação, Fabio Wajngarten, disse, também no Twitter, que o problema seria "contornado". E o BB voltou a colocar anúncios na página já condenada.

O Sleeping Giants virou alvo de bolsonaristas e passou a sofrer ataques na internet. 

Os ataques ao Sleeping Giants se intensificaram depois que o PayPal bloqueou o acesso de Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro, à sua plataforma de pagamentos. 

A justificativa da PF para abrir a investigação foi a defesa da liberdade de expressão. 

O inquérito foi arquivado, a pedido do Ministério Público Federal e por decisão da Justiça.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247