PF vai ouvir Duda Mendonça em inquérito contra Temer

O marqueteiro Duda Mendonça deverá ser ouvido na próxima semana pela PF no âmbito do inquérito que apura a suposta participação de Michel Temer na intermediação do repasse de R$ 10 milhões em propinas da empreiteira Oebrecht para a campanha do presidente licenciado da Fiesp Paulo Skaf ao Governo de São Paulo e também para o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, em 2014

PF vai ouvir Duda Mendonça em inquérito contra Temer
PF vai ouvir Duda Mendonça em inquérito contra Temer (Foto: Bernando Helio/Câmara dos Deputados)

247 - O marqueteiro Duda Mendonça deverá ser ouvido na próxima semana pela Polícia Federal no âmbito do inquérito que apura a suposta participação de Michel Temer na intermediação do repasse de R$ 10 milhões em propinas da empreiteira Oebrecht para a campanha do presidente licenciado da Fiesp Paulo Skaf ao Governo de São Paulo e também para o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, em 2014.

O marqueteiro havia se recusado a prestar depoimento em maio por estar aguardando a homologação de sua delação premiada. Como o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin homologou a delação na semana passada, Duda Mendonça agora está liberado para contar os detalhes dos bastidores da Campanha de Skaf.

Segundo Mendonça, os repasses à campanha do emedebista superaram os R$ 6 milhões que haviam sido citados na delação do ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht Cláudio Mello Filho. Segundo o ex-executovo, a Odebrecht teria repassado cerca de R$ 10 milhões por meio de caixa dois. Deste total, R$ 6 milhões seriam destinados a Skaf e o restante teria sido pago à produtora Ilha Produções.

A Ilha Produções está registrada em nome de Paulo Rossi, irmão do líder do MDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), que também tem a mulher do parlamentar como sócia na época da campanha. O repasse teria sido feito mediante um pedido de Michel Temer feito durante uma reunião no Palácio do Jaburu.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247