PGR reduz funcionários que atuam na investigação e combate à corrupção

Procurador-geral da República, Augusto Aras, baixou portaria que prevê o corte de 50 assessores que atuam nas investigações contra corrupção, incluindo o setor de perícias e o grupo de trabalho que atua na Lava Jato. Mesma portaria, porém, abre espaço para a criação de 74 cargos de assessoria nos gabinetes dos subprocuradores-gerais da República

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Procuradoria-Geral da República (PGR), comandada por Augusto Aras, baixou uma portaria que prevê o corte de 50 assessores de diversos órgão que atuam nas investigações da instituição, incluindo o setor de perícias e o grupo de trabalho que atua na Lava Jato. Em contrapartida, a mesma portaria abre espaço para a criação de 74 cargos de assessoria nos gabinetes dos subprocuradores-gerais da República. 

A alegação de Aras, segundo reportagem do jornal O Globo, é a realização de uma reformulação na estrutura interna visando otimizar o funcionamento da PGR. Ainda segundo ele, existe uma possibilidade de revisão nos cortes nas áreas de investigação. 

O temos das equipes que atuam na PGR e que os cortes acabem por afetar as investigações de combate à corrupção e a investigação de políticos. 

Uma das páreas mais afetadas pela portaria é a Secretaria de Perícia, Pesquisa e Análise (Sppea), que atua na produção de relatórios de inteligência que municiam a área de investigação. Com a refirma interna, o número de funcionários da Sppea  cai de 47 para 30 cargos comissionados, com salários reduzidos. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247