Pimenta: ao atacar Bachelet, Bolsonaro envergonha o Brasil no mundo

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS), usou as redes sociais par criticar o ataque à memória de Alberto Bachelet, pai da ex-presidente chilena e atual Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michele Bachelet, feito por Jair Bolsonaro. Para o parlamentar, o ataque "confirma que Bolsoanro "é uma pessoa abjeta, um ser humano vil e um presidente que envergonha o Brasil perante o mundo. Não se pode esperar nada diferente de alguém envolvido até o pescoço com o crime organizado”

Ordem do dia para discussão e votação de diversos projetos. Dep. Paulo Pimenta (PT - RS)03/09/2019
Ordem do dia para discussão e votação de diversos projetos. Dep. Paulo Pimenta (PT - RS)03/09/2019 (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

247 - O deputado federal e líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS), usou as redes sociais para criticar o ataque à memória de Alberto Bachelet, pai da ex-presidente chilena e atual Alta Comissária da Organização das Nações Unidas (ONU), Michele Bachelet, feito por Jair Bolsonaro. Para o parlamentar, Bolsonaro “envergonha o Brasil perante o mundo”. 

“Ao atacar o pai da ex-presidenta do Chile @mbachelet, @jairbolsonaro Bolsonaro confirma que é uma pessoa abjeta, um ser humano vil e um presidente que envergonha o Brasil perante o mundo. Não se pode esperar nada diferente de alguém envolvido até o pescoço com o crime organizado”, escreveu Pimenta em sua postagem. 

Nesta quarta-feira (4), Bolsonaro atacou cruelmente a memória do brigadeiro Alberto Bachelet, que após ter sido acusado de “traição à pátria”, faleceu devido a torturas em 1974, meses depois do golpe que resultou na ditadura de Augusto Pinochet. 

O ataque veio na esteira das críticas feitas por Bachelet devido ao aumento dos casos de violações dos direitos humanos desde que Bolsonaro chegou ao poder. 

Confira a postagem de Paulo Pimenta sobre o assunto. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247