Polícia mata adolescente negro e população se revolta: três ônibus são incendiados em São Paulo

Um protesto contra a morte de um adolescente negro na Vila Clara, zona sul de São Paulo, terminou com pelo menos três ônibus queimados e um manifestante preso. O jovem levou tiros e morreu após uma ação da PM no local

Adolescente negro morto em ação da polícia (SP)
Adolescente negro morto em ação da polícia (SP) (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O assassinato de um jovem negro de 14 anos pela polícia de São Paulo revoltou os moradores da Vila Clara, na capital paulista. Guilherme Silva Guedes, de 15 anos, desapareceu após a ação de um policial que trabalhava como vigilante em um galpão da região. 

A reportagem do portal R7 destaca que “após um assalto no estabelecimento, o suposto policial teria ido atrás dos responsáveis na região, ‘confundindo’ o adolescente.’

A matéria do jornal Folha de S. Paulo relata que “a manifestação começou às 16h, em frente da casa do adolescente, de forma pacífica. De acordo com a PM, os manifestantes passaram, então, a queimar pneus e interditaram a via. A PM foi acionada e, segundo a corporação, impediu que a avenida Cupecê também fosse bloqueada. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ao menos três ônibus foram totalmente queimados.”

A matéria ainda informa que “em outra ação envolvendo a Polícia Militar, a corporação afastou 14 agentes envolvidos em dois casos de agressões durante abordagens nos dias 12 e 13 de junho, na Grande São Paulo. Os policiais foram identificados após imagens das agressões gravadas por testemunhas terem repercutido nas redes sociais.”

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247