“Precisamos tomar o poder pelas massas”, diz Alysson Mascaro

Jurista e professor diz que “o capital é profundamente covarde” e somente a mobilização das massas pode fazer com que a economia nacional seja restaurada. Assista na TV 247

(Foto: Reprodução | Francisco Proner/Farpa Fotocoletivo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jurista e professor Alysson Mascaro contou, em entrevista à TV 247, parte da história da dominação do capital estrangeiro sobre o Brasil e apontou um caminho para a reconquista dos recursos nacionais: a mobilização das massas.

Mascaro evidenciou o desmonte da economia nacional durante a ditadura militar (1964-1985) e, principalmente, o governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). “Não temos instrumentos políticos na mão por causa do governo FHC. A política dele era dizer ‘não tem o que fazer’, então vamos entregar nossos recursos para uma burguesia mais avançada do exterior”, relatou. 

O jurista explicou que, quando professor de sociologia na USP, chegou à seguinte constatação: “o capitalismo do Brasil não tem jeito, a burguesia nacional não quer ser e nunca será autônoma”. Segundo ele, essa tese embasou a política de entrega dos recursos nacionais ao capital estrangeiro em setores como o farmacêutico e de telefonia.

Mascaro defendeu como solução políticas populares e de reapropriação: “Eu estou dizendo que, cientificamente, é o contrário disso. O capital é profundamente covarde. Se tivermos uma campanha de mobilização popular que explique à nossa gente que é preciso tomar o poder pelas massas, com força e contundência, a Petrobras voltaria para nós em um ano”. 

Inscreva-se na TV 247, seja membro e compartilhe:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email