Presidente da Caixa diz que não há como pagar auxílio sem filas: "não vou mentir"

“Não há nenhuma possibilidade de se pagar 50 milhões de pessoas em 3 semanas e não existir fila. Não vou mentir", justificou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães

Fila na Caixa Federal em Caruaru
Fila na Caixa Federal em Caruaru (Foto: Prefeitura de Caruaru)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse nesta sexta-feira (1º de Maio) que não há como pagar o auxílio emergencial sem que existam filas. Por conta das diversas falhas no sistema do banco, centenas de pessoas se aglomeram em filas para tentar receber o auxílio de R$ 600,00, em meio a pandemia do coronavírus.

“Não há nenhuma possibilidade de se pagar 50 milhões de pessoas em 3 semanas e não existir fila. Não vou mentir. O que faremos é mitigar filas. O que faremos é que pessoas do Bolsa Família estarão segregadas de quem recebe em conta digital e informais. Porque são os públicos mais carentes”, disse Guimarães durante uma transmissão ao vivo.

O benefício é destinado a trabalhadores informais, autônomos e vulneráveis atingidos pela crise do coronavírus.
O presidente da Caixa disse ainda que o banco vai abrir agências também em horários extras e aos sábados. Segundo ele, 1,6 mil agências terão a abertura antecipada em duas horas todos os dias.

“Abrimos 799 agências no dia 21 e abriremos amanhã [sábados] 902 agências. Se precisar sábado que vem abriremos de novo. Abriremos sempre que necessário”, declarou Guimarães.

De acordo com ele: 96 milhões de pessoas se cadastraram para receber o benefício; 50,1 milhões de solicitações foram aprovadas; 26 milhões cadastros foram considerados inelegíveis; 12 milhões de solicitações foram inconclusivos.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247