Procurador bolsonarista abre investigação contra Twitter por postagem do Ministério da Saúde classificado como 'enganosa'

Procurador Ailton Benedito, apoiador de Jair Bolsonaro, protocolou a abertura de um inquérito civil para investigar o Twitter por ter classificado uma postagem do Ministério da Saúde sobre o tratamento precoce da Covid-19 como “enganosa”

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O procurador do Ministério Público Federal (MPF) em Goiás, Ailton Benedito, apoiador de Jair Bolsonaro, protocolou a abertura de um inquérito civil para investigar o Twitter por ter classificado uma postagem do Ministério da Saúde sobre o tratamento precoce da Covid-19 como “enganosa”.  Para ele, "a aludida 'marcação' imposta pelo provedor de aplicações Twitter” pode "caracterizar prática ilícita de censura e prejudicar sobremaneira a prestação de informações de utilidade pública”. 

A defesa do tratamento precoce da doença com medicamentos de eficácia não comprovada cientificamente, como a cloroquina e ivermectina, é feita constantemente por Jair Bolsonaro e seus apoiadores. 

"A aludida 'marcação' imposta pelo provedor de aplicações Twitter em sua rede social da internet, contra uma publicação do Ministério da Saúde, sobre medida de enfrentamento à pandemia de Covid-19, pode caracterizar prática ilícita de censura e prejudicar sobremaneira a prestação de in formações de utilidade pública", destaca um trecho da ação movida por Benedito, segundo reportagem do jornal O Globo. 

"Requisito-lhe que, no prazo de cinco dias, encaminhe os fundamentos fáticos e jurídicos que alegadamente sustentativa a marcação 'enganosa' atribuída, em sua rede social da internet, à publicação do Ministério da Saúde acima referida; devendo detalhar exatamente porque a plataforma a considera 'enganosa', bem como os efeitos dessa marcação na difusão da postagem entre os usuários da aludida rede", complementou. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email