PSOL pede que Moraes inclua perfis apagados pelo Facebook em inquérito das fake news

Petição junto ao STF foi protocolada nesta quinta-feira (9) e pede que que o ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito das fake news, inclua no processo os 88 perfis disseminadores de notícias falsas que foram apagados pelo Facebook

Alexandre de moraes
Alexandre de moraes (Foto: Reprodução | Carlos Moura/SCO/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O PSOL protocolou uma petição junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando que o ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito das fake news, inclua no processo os 88 perfis que foram apagados nesta quarta-feira (9) pelo Facebook, além de pedir que os responsáveis por estas contas sejam identificados e investigados.

Muitos dos perfis que foram apagados pela rede social estão ligados diretamente a funcionários do gabinete de Jair Bolsonaro e de seus filhos, além de aliados políticos. "Dada a gravidade dos fatos, solicitamos busca e apreensão de todas as provas e indícios nas investigações em curso que envolvam os fatos narrados na presente petição com a urgência que se faz necessária, diante da possibilidade de ocultamento e destruição de provas", diz o PSOL no documento, segundo reportagem do UOL

O partido ressalta, ainda, que a rede de notícias falsas foi criada “com o objetivo de destruir reputações e atacar opositores políticos, é indisfarçável a participação de uma rede de Fake News, amplamente articulada, que ataca, difama e calunia, de forma sistemática e organizada, qualquer opositor democrático ao atual mandatário da República".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email