PT: fim do Fundo Soberano reflete o fracasso da política de Temer e Meirelles

O PT, presidido pela senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirma que o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles "raspa o tacho do Fundo Soberano para mitigar o fracasso de sua política econômica e tentar satisfazer minimamente os interesses do capital financeiro a que deve obediência"

O PT, presidido pela senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirma que o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles "raspa o tacho do Fundo Soberano para mitigar o fracasso de sua política econômica e tentar satisfazer minimamente os interesses do capital financeiro a que deve obediência"
O PT, presidido pela senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirma que o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles "raspa o tacho do Fundo Soberano para mitigar o fracasso de sua política econômica e tentar satisfazer minimamente os interesses do capital financeiro a que deve obediência" (Foto: Leonardo Lucena)

247 - A Executiva Nacional do PT emitiu uma nota em repúdio à Medida Provisória número 830, que extingue o Fundo Soberano do Brasil, criado pela Lei nº 11.887, de 24 de dezembro de 2008, e o Conselho Deliberativo do Fundo Soberano do Brasil. Após lembrar que o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles foi lançado como pré-candidato à presidência da República por Michel Temer, a legenda afirma que o ex-titular da pasta "raspa o tacho do Fundo Soberano para mitigar o fracasso de sua política econômica e tentar satisfazer minimamente os interesses do capital financeiro a que deve obediência".

"Não satisfeito com o desmonte dos pilares de nossa Constituição Federal, com a regressão econômica e social que produziu nos últimos dois anos, o governo golpista agora se volta contra o Fundo Soberano do Brasil (FSB), de olho nos R$ 23 bilhões de reais que poderá arrastar para o caixa do Governo Federal e assim evitar o descumprimento da chamada Regra de Ouro (que proíbe o endividamento do governo para cobrir despesas correntes)", diz a nota.

"Salta aos olhos o caráter lesivo aos interesses nacionais, também por ser inócua, porque não há no Fundo dinheiro suficiente para fechar o buraco aberto pela equivocada política de ajuste fiscal posta em prática pelo ex-ministro Henrique Meirelles", acrescenta a sigla.

O partido lembrou que o "Fundo foi criado em 2008 pelo ex-presidente Lula e tinha como objetivo acumular saldos monetários obtidos em anos de maior crescimento econômico a serem aplicados em ativos variados que garantiriam rendimentos futuros ao país, os quais poderiam ser utilizados em períodos de maior dificuldade". "O PT resistirá à aprovação dessa Medida Provisória pelo Congresso Nacional, para preservar esse instrumento fundamental de política econômica do legado do nosso governo Lula", afirma.

"A pré-candidatura do ex-presidente Lula às eleições de outubro cobrará de todas as demais pré-candidaturas à Presidência da República e de suas bancadas no Congresso Nacional o compromisso com a manutenção do Fundo Soberano e de propostas concretas de utilização de seus recursos para o enfrentamento da crise econômica deixada por Temer/Meirelles, visando a retomada do desenvolvimento, do bem estar social e da soberania nacional".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247