PT: recordar Auschwitz é renovar a unidade dos povos contra o imperialismo e racismo

"O Partido dos Trabalhadores, nessa data solene, homenageia as vítimas e os libertadores de Auschwitz, reafirmando seu compromisso histórico com a democracia, a paz e a autodeterminação dos povos", diz o PT em nota sobre os 75 anos da libertação de Auschwitz

Auschwitz
Auschwitz (Foto: REUTERS/Kacper Pempel)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O PT divulgou nota nesta segunda-feira (27) em homenagem aos 75 anos da libertação de Auschwitz. O partido afirma que em um mundo de novas aspirações fascistas, "recordar Auschwitz é renovar a unidade dos povos contra os apóstolos do imperialismo, da tirania e do racismo".

"O Partido dos Trabalhadores, nessa data solene, homenageia as vítimas e os libertadores de Auschwitz, reafirmando seu compromisso histórico com a democracia, a paz e a autodeterminação dos povos", disse também em nota.

Leia na íntegra:

No dia 27 de janeiro de 1945, a União Soviética, através do Exército Vermelho libertava Auschwitz, uma rede de campos de concentração, localizada na Polônia, então sob ocupação nazista. As tropas soviéticas colocavam um fim ao genocídio do povo judeu e de outros grupos étnicos que eram vítimas da sanha racista de Adolf Hitler.

Ao redor de 1,3 milhão de pessoas foram assassinadas nesse local, a maior parte em câmaras de gás. Calcula-se que 90% dos mortos tinham origem judaica. Auschwitz, com esses números tenebrosos, representava a ponta de lança de uma doutrina que mesclou supremacia nacional e raça para impor uma ditadura sangrenta a serviço do grande capital alemão.

Sua libertação é um símbolo eterno da resistência antinazista, que acabaria por levar à capitulação incondicional, em 8 de maio do mesmo ano, de um dos piores inimigos que a humanidade já enfrentou.

O Partido dos Trabalhadores, nessa data solene, homenageia as vítimas e os libertadores de Auschwitz, reafirmando seu compromisso histórico com a democracia, a paz e a autodeterminação dos povos.

Quando o mundo volta a enfrentar o crescimento de correntes fascistas, estreitamente vinculado ao desenvolvimento capitalista em sua fase neoliberal, recordar Auschwitz é renovar a unidade dos povos contra os apóstolos do imperialismo, da tirania e do racismo.

Gleisi Hoffmann
Presidenta do Partido dos Trabalhadores

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247