Ricardo Coutinho diz que Dilma teme paralisação de obras

Em reunião com o governador da Paraíba, Ricardo Vieira Coutinho, do PSB, nesta quarta (19), a presidente Dilma Rousseff expressou preocupação com a possibilidade de grandes obras de infraestrutura do país paralisarem em decorrência das prisões de executivos das maiores empreiteiras do país; "Qualquer pessoa de bom senso sabe muito bem que seria impossível para um país desta dimensão e com empresas também com o tamanho enorme como são as grandes empresas paralisarem todas as obras que fazem pelo país afora. Chegamos a comentar exatamente isso. Não dá para parar o país", afirmou Coutinho

Em reunião com o governador da Paraíba, Ricardo Vieira Coutinho, do PSB, nesta quarta (19), a presidente Dilma Rousseff expressou preocupação com a possibilidade de grandes obras de infraestrutura do país paralisarem em decorrência das prisões de executivos das maiores empreiteiras do país; "Qualquer pessoa de bom senso sabe muito bem que seria impossível para um país desta dimensão e com empresas também com o tamanho enorme como são as grandes empresas paralisarem todas as obras que fazem pelo país afora. Chegamos a comentar exatamente isso. Não dá para parar o país", afirmou Coutinho
Em reunião com o governador da Paraíba, Ricardo Vieira Coutinho, do PSB, nesta quarta (19), a presidente Dilma Rousseff expressou preocupação com a possibilidade de grandes obras de infraestrutura do país paralisarem em decorrência das prisões de executivos das maiores empreiteiras do país; "Qualquer pessoa de bom senso sabe muito bem que seria impossível para um país desta dimensão e com empresas também com o tamanho enorme como são as grandes empresas paralisarem todas as obras que fazem pelo país afora. Chegamos a comentar exatamente isso. Não dá para parar o país", afirmou Coutinho (Foto: Valter Lima)

247 - Em reunião com o governador da Paraíba, Ricardo Vieira Coutinho, do PSB, no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (19), a presidente Dilma Rousseff expressou sua preocupação com a possibilidade de grandes obras de infraestrutura do país paralisarem em decorrência das prisões de presidentes e executivos das maiores empreiteiras do país. 

"Qualquer pessoa de bom senso sabe muito bem que seria impossível para um país desta dimensão e com empresas também com o tamanho enorme como são as grandes empresas paralisarem todas as obras que fazem pelo país afora. Chegamos a comentar exatamente isso. Eu expressei este meu ponto de vista que é também o ponto de vista dela. E que o governo vem dizendo há algum tempo. Não dá para parar o país", afirmou Coutinho após o encontro.

De acordo com ele, o assunto sobre a Operação Lava Jato foi levantado por ele mesmo e Dilma não comentou as prisões. Ela, no entanto, concordou com as preocupações expostas. A presidente também teria demonstrado querer maior agilidade nas obras.

"A presidente quer agilidade das obras. A presidente quer concluir as obras. Como eu, como governador, também quero. E como qualquer um que seja beneficiário das obras quer ver as obras concluídas. Você investe para isso", disse Coutinho.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247