Ricardo Miranda: estou triste, mas a alegria teimará em voltar

Por meio de uma carta aberta, o jornalista Ricardo Miranda destaca que após "aguentarmos Temer e a República do PMDB, agora aguentaremos Bolsonaro e a República da Caserna. Esse país não merecia isso"; apesar da ascensão da extrema direita Miranda diz ter esperança de dias melhores em um futuro próximo; "Estou triste, mas a alegria teimará em voltar. De repente, em edição extraordinária; afirma

Ricardo Miranda: estou triste, mas a alegria teimará em voltar
Ricardo Miranda: estou triste, mas a alegria teimará em voltar

Por Ricardo Miranda, em seu blog - Estou muito triste. Aguentamos Temer e a República do PMDB. Agora aguentaremos Bolsonaro e a República da Caserna. Esse país não merecia isso. Mas quero me dirigir a todas as amigas e todos os amigos para, primeiro, agradecer a luta democrática de cada um. Me orgulho de todos vocês. Em especial quem não é militante, nem petista, e que votou em Haddad em nome de uma causa maior e para tentarmos evitar o mal que acabou vindo. Segundo, dizer que é hora de resistir e denunciar cada arranhão, cada ferida, cada chaga na nossa democracia. Por último queria dizer a você que não votou que não o culpo, só lamento. Poderiam ter feito a diferença. Mais de 11 milhões de brasileiros votaram em branco e nulo no segundo turno e 31 milhões sequer foram às urnas. Ao todo, 42,1 milhões de eleitores, quase a votação de Fernando Haddad, decidiram não escolher um dos dois – o que minha amiga, a jornalista Tereza Cruvinel chamou de Legião de Pilatos. Ou seja, Bolsonaro teve 55% dos votos válidos, mas apenas 39% dos votos totais, dos quais Haddad teve 31%. É isso, estou triste, mas a alegria teimará em voltar. De repente, em edição extraordinária. Fiquem bem

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247