Rui Costa Pimenta: vamos transformar Curitiba numa panela de pressão

Presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, avalia em seu programa na TV 247 que o cerne da questão no momento é intensificar a luta política; "Um ponto altamente positivo no atual momento é que a mobilização social está crescendo e se radicalizando", afirma; "O jogo não acaba porque Lula está preso. Fica mais difícil, mas a resistência precisa continuar. Frear a mobilização das massas exige um custo muito maior do que sustentar o golpe", reflete; assista

Presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, avalia em seu programa na TV 247 que o cerne da questão no momento é intensificar a luta política; "Um ponto altamente positivo no atual momento é que a mobilização social está crescendo e se radicalizando", afirma; "O jogo não acaba porque Lula está preso. Fica mais difícil, mas a resistência precisa continuar. Frear a mobilização das massas exige um custo muito maior do que sustentar o golpe", reflete; assista
Presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, avalia em seu programa na TV 247 que o cerne da questão no momento é intensificar a luta política; "Um ponto altamente positivo no atual momento é que a mobilização social está crescendo e se radicalizando", afirma; "O jogo não acaba porque Lula está preso. Fica mais difícil, mas a resistência precisa continuar. Frear a mobilização das massas exige um custo muito maior do que sustentar o golpe", reflete; assista (Foto: Lais Gouveia)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

TV 247 - Na análise política que faz semanalmente na TV 247, o presidente do Partido da Causa Operária (PCO), Rui Costa Pimenta, analisou na última terça-feira (10) a prisão arbitrária do ex-presidente Lula e salientou a importância de uma grande mobilização social para enfrentar o golpe de Estado. 

A respeito do momento da prisão contra o ex-presidente, no fim de semana passado, Rui acredita que seria uma verdadeira operação de guerra para tirar Lula do Sindicato, se a polícia decidisse agir e Lula não se apresentasse. "No último sábado, a militância estava disposta a lutar até o fim pela liberdade do ex-presidente", avalia.

O presidente do PCO destaca que a única forma de acabar com o golpe é a mobilização popular. "O jogo não acaba porque Lula está preso. Fica mais difícil, mas a resistência precisa continuar. Frear a mobilização das massas exige um custo muito maior do que sustentar o golpe", reflete. 

Enfrentamento será nas ruas

Rui acredita que a prisão arbitrária do ex-presidente aumenta a comoção social em apoio ao Lula. "O povo observa que tem alguma coisa de errado, todas as arbitrariedades do processo são explícitas e reafirma seu apoio ao ex-presidente. Isso deve ser impulsionado numa crescente manifestação popular", observa.

"As pessoas estão percebendo que, para além dos tramites jurídicos, a mobilização nas ruas é fundamental na luta política. Vamos transformar Curitiba numa panela de pressão", afirma.

Sobre os rumos políticos do Brasil, Rui reitera que existem duas escolhas: ou abaixar a cabeça para os militares ou enfrentar o golpe. "Já eliminaram o Lula do campo político, rasgaram a constituição no que é mais tocante, que é a garantia de direitos. Vivemos num estado de exceção completo. Só com muita resistência contornaremos este quadro", denuncia.

Ele conclui sua participação no programa alertando sobre a ameaça real imperialista, que promove golpes de toga na América Latina e guerras em nome do lucro. "Trump aceita as chantagens e retorna à Síria para novos ataques. Os estadunidenses estão derrotados e tentando contornar a situação no Oriente Médio. Na América Latina, eles buscam neutralizar a esquerda de forma geral".

Na noite desta sexta-feira 13, portanto depois da entrevista com Rui Costa Pimenta na TV 247, os Estados Unidos atacaram três alvos na Síria, junto com França e Reino Unido. Os ataques foram em resposta a um suposto uso de armamento químico, segundo os americanos, pelo governo de Bashar Al Assad.

Inscreva-se na TV 247 e confira a íntegra do programa com Rui Costa Pimenta:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247