Salvador, cidade do medo, terá escolas vazias

Sindicado dos Estabelecimentos de Ensino recomenda adiamento do incio do ano letivo, diante do clima de terror na Bahia; apesar das garantias oferecidas pelo Estado, maioria das escolas deve fechar as portas nesta segunda

Salvador, cidade do medo, terá escolas vazias
Salvador, cidade do medo, terá escolas vazias (Foto: Divulgação)

Jaciara Santos_Bahia 247 - O Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado da Bahia (Sinepe), entidade que congrega as escolas particulares em todo o estado, divulgou nota recomendando o adiamento do início do ano letivo de 2012, marcado para amanhã, dia 6, segunda-feira. A medida foi adotada em decorrência do clima de insegurança associado à greve dos policiais militares, deflagrada na terça-feira (31). O retorno às aulas na rede está condicionado ao término da paralisação e à retomada da normalidade

Os colégios São Paulo, Anchieta (incluindo as unidades Anchietinhas), que reúnem um total de 4,5 mil estudantes, já confirmaram que vão seguir a orientação.

Já na rede pública, o retorno às aulas está mantido em todo o estado, segundo informação do governo do Estado. De acordo com o o secretário de Segurança Pública, delegado federal Maurício Teles Barbosa, foi montado um esquema especial para garantir a segurança de estudantes e trabalhadores da educação com a presença maciça de soldados do Exército e de policiais militares não-amotinados. Ao todo, a rede estadual reúne aproximadamente um milhão de estudantes e pouco mais de 40 mil professores.

Apesar das garantias oferecidas pelo Estado, representantes dos docentes demonstram receio. Em entrevista ao jornal A Tarde, a vice-coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB-Sindicato), Marilene Betros, disse ter preocupação com os alunos e temer que ondas dos boatos possam alcançar desdobramentos imprevisíveis.

Não foi divulgado o efetivo a ser mobilizado para dar segurança às escolas.

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247