Secretário destaca o ‘maior massacre do sistema prisional do Amazonas’

O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, definiu nesta segunda-feira 2 a rebelião que deixou ao menos 60 mortos em um presídio de Manaus como "o maior massacre do sistema prisional do Amazonas"; ainda não há confirmação oficial do número de fugas, mas estima-se que sejam mais de 100; "Esse foi mais um capítulo da guerra silenciosa e impiedosa do narcotráfico", declarou Fontes

O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, definiu nesta segunda-feira 2 a rebelião que deixou ao menos 60 mortos em um presídio de Manaus como "o maior massacre do sistema prisional do Amazonas"; ainda não há confirmação oficial do número de fugas, mas estima-se que sejam mais de 100; "Esse foi mais um capítulo da guerra silenciosa e impiedosa do narcotráfico", declarou Fontes
O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, definiu nesta segunda-feira 2 a rebelião que deixou ao menos 60 mortos em um presídio de Manaus como "o maior massacre do sistema prisional do Amazonas"; ainda não há confirmação oficial do número de fugas, mas estima-se que sejam mais de 100; "Esse foi mais um capítulo da guerra silenciosa e impiedosa do narcotráfico", declarou Fontes (Foto: Gisele Federicce)

247 - O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, definiu a rebelião que deixou ao menos 60 mortos em um presídio de Manaus como "o maior massacre do sistema prisional do Amazonas".

O secretário afirmou ainda que integrantes da facção Família do Norte (FDN) comandou a rebelião, que "não havia sido planejada previamente". Todos os mortos são integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) e presos por estupro.

"Esse foi mais um capítulo da guerra silenciosa e impiedosa do narcotráfico", declarou ainda Fontes. Ainda não há confirmação oficial do número de fugas, mas estima-se que sejam mais de 100.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247