Segovia contamina inquérito sobre Temer e constrange delegado, diz colunista

Segundo o jornalista Leandro Colon, o "mais complicado da atitude do diretor-geral da PF, Fernando Segovia, foi dar a opinião dele sobre a apuração em andamento; Colon afirma que, ao dar palpite sobre as investigações, Segovia "contamina o inquérito e constrange o delegado"

Segundo o jornalista Leandro Colon, o "mais complicado da atitude do diretor-geral da PF, Fernando Segovia, foi dar a opinião dele sobre a apuração em andamento; Colon afirma que, ao dar palpite sobre as investigações, Segovia "contamina o inquérito e constrange o delegado"
Segundo o jornalista Leandro Colon, o "mais complicado da atitude do diretor-geral da PF, Fernando Segovia, foi dar a opinião dele sobre a apuração em andamento; Colon afirma que, ao dar palpite sobre as investigações, Segovia "contamina o inquérito e constrange o delegado" (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O colunista Leandro Colon avalia ser irrelevante o argumento do diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, de que foi "mal interpretado", após dizer que a tendência é de que arquivamento do inquérito sobre o Decreto dos Portos. A PF investiga se Michel Temer favoreceu a empresa Rodrimar.

Segundo o jornalista, o "mais complicado da atitude de Segovi" foi dar a opinião dele sobre a apuração em andamento. Colon afirma que, ao dar palpite sobre as investigações, Segovia "contamina o inquérito e constrange o delegado".

O jornalista acrescenta que Segóvia foi "bancado por José Sarney". Colon diz, ainda, que o diretor-geral da PF minimizou a relevância da mala de R$ 500 mil recebida por Rocha Loures da JBS.

Leia a íntegra do texto

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247