Segunda Turma do STF julga nesta terça se valida acesso a mensagens da operação Spoofing a defesa de Lula

Segundo o jornalista Kennedy Alencar, os ministros Gilmar Mendes, presidente da Segunda Turma, Ricardo Lewandowski e Kassio Nunes Marques devem votar pela legalidade do compartilhamento de dados

Ex-presidente Lula, Gleisi Hoffmann e Sérgio Moro
Ex-presidente Lula, Gleisi Hoffmann e Sérgio Moro (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil - Stuckert - Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal vai julgar nesta terça-feira (9) se valida ou não a legalidade do compartilhamento de dados da Operação Spoofing com a defesa do ex-presidente Lula. O julgamento acontece a pedido do ministro Ricardo Lewandowski.

De acordo com apuração do colunista Kennedy Alencar, do UOL, a corte deve validar a legalidade do compartilhamento das provas apuradas na investigação, sendo os diálogos das conversas entre o ex-juiz Sergio Moro e procuradores da Lava Jato o principal conteúdo a ser validado. 

Segundo Kennedy, os ministros Gilmar Mendes, presidente da Segunda Turma, Ricardo Lewandowski e Kassio Nunes Marques devem votar pela legalidade do compartilhamento de dados.

"A ministra Carmén Lúcia também deve endossar o acesso da defesa de Lula às mensagens. Apenas Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, é tido como voto certo contra", apontou Kennedy.

A Polícia Federal apreendeu e atestou a autenticidade mediante perícia de mensagens de Telegram trocadas entre integrantes da Lava Jato. Nas conversas, Moro e procuradores como Deltan Dallagnol, corromperam o processo judicial para condenar Lula.

Para Kennedy Alencar, caso a Corte confirme a legalidade do compartilhamento, "abre-se uma avenida para que Moro seja declarado suspeito (parcial), anulando sentenças em processos conduzidos pelo ex-juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email