Solnik: ao negar entrevista a Lula, juíza Lebbos pratica censura

O jornalista Alex Sonik condena a postura da juíza Carolina Lebbos, que impediu o ex-presidente Lula de conceder entrevistas à imprensa como pré-candidato à Presidência da República. Lebbos também afirmou que já considera Lula inelegível; "O judiciário brasileiro transformou-se em um vale-tudo, o que a juíza faz é censura", observa; assista a íntegra do programa Boa Noite 247

Solnik: ao negar entrevista a Lula, juíza Lebbos pratica censura
Solnik: ao negar entrevista a Lula, juíza Lebbos pratica censura

TV 247 - O programa Boa Noite 247 desta quarta-feira (11) destacou a sequência de arbitrariedades do judiciário, que abandonou a presunção de inocência estabelecida no artigo quinto da Constituição Federal. Na opinião do jornalista Alex Solnik, "ao negar entrevista a Lula, juíza Carolina Lebbos pratica censura".  

A juíza Carolina Lebbos, que é responsável pelas decisões sobre a custódia de Lula (na prática, ela cuida da carceragem do ex-presidente), impediu o ex-presidente de conceder entrevistas à imprensa como pré-candidato à Presidência da República. Além disso, Lebbos afirmou que já considera Lula inelegível. 

Vale tudo 

O jornalista Alex Solnik afirma que, desde que o Supremo Tribunal Federal (STF) encerrou a presunção de inocência, o judiciário brasileiro transformou-se em um vale-tudo. "As decisões são estapafúrdias e sempre confrontam a Constituição, o que a juíza Lebbos faz é censura", observa.   

O jornalista Paulo Moreira Leite afirma o quanto é frágil a sentença que mantém Lula preso, assim como os argumentos que impedem sua candidatura. "As afirmações de Lebbos são absurdas, não há nenhuma decisão dizendo que Lula está inelegível, além disso, várias pessoas que estão cumprindo penas longas dão entrevistas, criminosos com alto índice de periculosidade", argumenta. 

143 habeas corpus negados 

A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Laurita Vaz negou 143 habeas corpus a favor de Lula de uma só vez. 

"De fato, apenas nas ditaduras habeas corpus não são reconhecidos. No AI-5, eliminaram habeas corpus para crimes políticos, e claramente a censura era estabelecida, hoje, nós temos a prática das delações", compara Moreira Leite. 

Dando sequência às arbitrariedades, a Procuradoria Geral da República (PGR) abriu inquérito para investigar o desembargador  Rogério Favreto, alegando ele que concedeu habeas corpus ao ex-presidente Lula por sentimentos pessoais. 

Alex Solnik salienta que Favreto não somente agiu de forma correta, mas que foi o único que seguiu a constituição. "E ele está sendo acusado, isso no mínimo é esquisito", opina. 

Inscreva-se na TV 247 e confira o programa Boa Noite 247


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247