Sondagem 247: 49% acham Carlos Bolsonaro leviano; para 51%, militares querem morte de seu pai

Sondagem da TV 247 realizada nesta quinta-feira , a partir das 7h, ouviu 1.800 pessoas até 13:30h, a respeito de uma declaração polêmica de Carlos Bolsonaro: "a morte de Jair Bolsonaro não interessa somente aos inimigos declarados, mas também aos que estão muito perto; principalmente após de sua posse!"; para 48% dos internautas, ele foi leviano; outros 52% consideram que o filho de Bolsonaro referiu-se de maneira indireta ao general Hamilton Mourão ou a setores das Forças Armadas 

Sondagem 247: 49% acham Carlos Bolsonaro leviano; para 51%, militares querem morte de seu pai
Sondagem 247: 49% acham Carlos Bolsonaro leviano; para 51%, militares querem morte de seu pai

247 - Sondagem da TV 247 realizada nesta quinta-feira (29), a partir das 7h, ouviu 1.800 pessoas até 13:30h, a respeito de uma declaração polêmica de Carlos Bolsonaro. Em postagem feita no Twitter, ele disse que "a morte de Jair Bolsonaro não interessa somente aos inimigos declarados, mas também aos que estão muito perto. Principalmente após de sua posse!".

A pergunta apresentada foi: "'A morte de Jair Bolsonaro não interessa somente aos inimigos declarados, mas também aos que estão muito perto. Principalmente após de sua posse!', escreveu Carlos Bolsonaro. A quem ele se refere?"

Para 49% dos internautas,"Carlos Bolsonaro foi leviano e não se referiu a ninguém". Na enquete, as opções segundo as quais Carlos teria se referido a militares ou indiretamente ao general Hamilton Mourão, vice-presidente eleito, foram desmembradas, atingindo 20% e 31% dos votos, respectivamente. Somando as duas opções, para 51% dos votantes, Bolsonaro possui problemas internos entre seus aliados de farda. 

Internautas opinam: climão no governo e vitimismo do clã

Os internautas deixaram mais de 100 comentários na enquete. Para Fernando Graça, Carlos Bolsonaro foi leviano e "quer promover mais uma farsa igual à fakeada para justificar alguma repressão". 

Eliana Rocha considera que o alvo central é o general Hamilton Mourão. "Os filhos do Coiso imperial estão tentando eliminar o vice-coiso, para governarem como um clã familiar", observa. 

Edson Oliveira votou na opção "À cúpula das Forças Armadas", alegando que "fascistas não tem amigos. Só tem interesses. São todos descartáveis". 

Marcos Almeida destaca que a família vive de mentiras e optou pela opção da levianidade de Carlos. "O Satã Júnior só quis fazer climão com a fake news. Isto é a cara deles. Ou então quis massagear o ego do pai fazendo ele se achar o ser mais importante do planeta, só que não. Essa família só pensa em aniquilação, parece estarem sempre em guerra com alguma coisa. Deve ser o comunismo ou alguma teoria da conspiração do Olavo de Carvalho", ironiza. 

Patty Comini considera que "as Forças Armadas já estão no poder há muito tempo e só usaram o Bozoasno de fantoche". 

Ana Paula Simeão aponta que, "ao longo dos dias, Mourão vem se mostrando como uma via ponderada e viés conciliador". Para ela, Carlos Bolsonaro pode ter se referido ao vice-presidente. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247