STF encaminha à PGR pedido de investigação contra Bolsonaro em caso de propina na compra de vacinas

O pedido de investigação foi apresentado pela deputada federal Natália Bonavides (PT-RN) por suspeita de prevaricação no âmbito de supostas irregularidades na negociação de vacinas contra a Covid-19 pelo Ministério da Saúde

(Foto: Reuters/Adriano Machado | Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News

Por Ricardo Brito e Pedro Fonseca (Reuters) - A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber encaminhou para manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR) um pedido de investigação apresentado pela deputada federal Natália Bonavides (PT-RN) contra o presidente Jair Bolsonaro por suspeita de prevaricação no âmbito de supostas irregularidades na negociação de vacinas contra a Covid-19 pelo Ministério da Saúde.

No pedido enviado ao STF, a deputada solicitou que a PGR fosse acionada para investigar indícios de corrupção, associação criminosa, advocacia administrativa e prevaricação, citando denúncia feita pelo policial militar Luiz Paulo Dominguetti --representante da Davati Medical Supply-- de que teria recebido pedido de propina de 1 dólar por dose de vacina de um servidor do Ministério da Saúde.

Segundo Dominguetti, o pedido de propina em negociação pela vacina da AstraZeneca foi feito pelo então diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias -- que também é alvo do pedido de investigação apresentado pela parlamentar ao Supremo. Dias foi demitido pela pasta após a revelação da denúncia. Ele nega ter cometido irregularidades.

PUBLICIDADE

A AstraZeneca negou ter qualquer intermediário para venda de vacinas, lembrando que fechou contrato com o Brasil diretamente com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Se considerar que há elementos, a PGR poderá pedir a abertura de inquérito contra Bolsonaro e o ex-diretor do ministério ao Supremo. Posteriormente, se houver elementos, poderá denunciá-los criminalmente.

PUBLICIDADE

Além do pedido da deputada Natália Bonavides, três senadores apresentaram esta semana ao STF pedido para que o Ministério Público abra inquérito contra Bolsonaro por suposto crime de prevaricação em caso envolvendo suspeitas de irregularidades na compra da outra vacina, a Covaxin.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email