Em nova derrota para Bolsonaro, STF forma maioria contra suspensão de prazo de tramitação de MPs

Nove ministros já se manifestaram contra o pedido do governo Jair Bolsonaro de suspender o prazo de apreciação pelo Congresso de Medidas Provisórias que tinham sido editadas antes da pandemia do coronavírus

(Foto: Brasil247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votou a favor de negar um pedido do governo Jair Bolsonaro de suspender o prazo de apreciação pelo Congresso Nacional de medidas provisórias que tinham sido editadas antes da pandemia do coronavírus.

A Advocacia-Geral da União havia entrado com pedido no Supremo para que fosse suspenso, inicialmente por 30 dias, a contagem de prazo pelo qual as MPs perdessem eficácia quando não votadas pelo Congresso devido à pandemia.

Nove ministros já se manifestaram contra esse pedido durante julgamento virtual do STF.

Atualmente as MPs têm validade de 60 dias, prorrogáveis por outros 60 dias, o que ocorre automaticamente. Caso não sejam votadas nesse período, elas perdem efeito.

O julgamento desta quarta-feira foi suspenso por pedido de vista do presidente do STF, Dias Toffoli. Os ministros ainda devem decidir sobre a possibilidade de flexibilizar o processo de votação das medidas provisórias no Congresso. Por exemplo, se as MPs poderiam ser votadas diretamente em plenário e não ter de passar por comissões mistas, como é o trâmite regular.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247